23 de março de 2011

picos e vales

os picos e vales pessoais são nada mais nada menos do que os altos e baixos que sentimos na vida e esses momentos podem durar minutos, meses, anos... tudo depende da nossa forma com que os encaramos.
à semelhança do que assistimos à superfície da terra que nos é oferecido pela natureza, os picos e vales pessoais encontram-se ligados entre si, ou seja, não existem saltos mas sim caminhos que nos levam do vale ao pico e por onde regressamos ao vale...
se vivemos mais em vale ou em picos, assim como a forma que gerimos o tempo que por lá passamos depende unicamente de nós.
Podemos transformar o vale num pico a partir do momento que descobrimos como usar as qualidades ocultas num mau período fazendo delas a catapulta necessária para nos elevar ao pico.
todos queremos permanecer nos picos o maior tempo possível o que nem sempre conseguimos pois não sabemos gerir esse tempo, acabando mesmo por cair tão rápido como subimos...
umas das razões para deixarmos o pico cedo de mais é a arrogância, disfarçada de autoconfiança.
o inverso também se verifica e há quem queira ficar no vale tempo de mais...
aqui a razão mais comum é o medo, disfarçado de conforto.

vejamos a teoria do electrocardiograma, só estamos vivos enquanto temos "picos e vales" quando a linha se estagna "caput", "batemos as botas", fomos desta para melhor (ou não :)), simplesmente morremos.
contudo o equilíbrio é saber gerir a vida entre os dois pólos exactamente como o nosso coração o faz... olhemos para a vida com maior simplicidade **

5 comentários:

MartaP. disse...

ora aí está. a simplicidade. Uma coisa tão simples que as pessoas tendem a complicar.

Lu! disse...

Gostei muito deste texto. Fez-me pensar...
É certo que só nós temos o poder de gerir e controlar as nossas emoções para isso devemos sempre usar a cabeça para pensar sensatamente... O problema é a voz do coração que grita sempre tão alto...
Beijinhos

pink poison disse...

Sair de qualquer situação, é sempre a força do nosso interior que nos vale... Ou gostamos de estar em vales... Eu ando um pouco baralhada em relação a isso...
Beijo

Dina disse...

Gostei muito dessa comparação com o electrocardiograma ;) É tão certa!

hug * disse...

MartaP
para essa conseguir essa simplicidade é preciso deixar de lado o ego que tanto tende a complicar as vidas

Lu!
A voz do coração comanda-nos, basta deixarmo-nos guiar por ele e conseguiremos ultrapassar os vales...

Pink
andas baralhada? que se passa?
em vales acho que ninguem gosta de andar, mas inevitavelmente por lá passamos, cabe-nos decidir quanto tempo lá ficamos...
não é mau lá estar pois é ai que devemos aproveitar para descansar, e tirar grandes conclusões.

Dina
ainda bem que gostaste **