11 de abril de 2011

senti e sinto...

o poder cruel da indiferença, aquela que vem calada e quando abre a boca se expressa em tom baixo, entre dentes, com medo de ser entendida como tal.
o silêncio habita em mim
num desenquadramento tão real que apenas me limito a ver, a ouvir...
e dói... discriminação dói.
:'(

14 comentários:

S. disse...

sim, discriminação dói, indiferença dói...
Dói não ser para o(s) outro(s) o que ele(s) é(são) para nós...

hug * disse...

S.
não podias ter dito maior verdade...
beijinho

MartaP. disse...

despreza.

hug * disse...

MartaP
teria então que deprezar a minha vida...

Mar disse...

Hug continuo à espera de um poema/post com palavras de alegria. Com palavras de esperança de a encontrar pelo menos. :)

Tenho a certeza que um malabarista de palavras como tu és, consegue. E só depende de ti. Acredita! :)

Desprende-te do que te entristece, a vida tem mais coisas, não te concentres só no que de mau aconteceu. Bem sei que não são sei quais são as tuas razões e não tenho que me meter na tua vida, mas acredita que gostava mesmo de poder ajudar. :)

hug * disse...

Mar
dificilmente irás ver um poema meu :) e as palavras de alegria elas vão existindo, em minoria é certo...
não tenho só que me desprender do que me entristece mas sim encher este vazio que deambula por cidades desertas...

sabes uma coisa?
é que quando mais precisamos é quando menos temos e isso está a custar ainda mais...

obrigado por tudo e é mesmo do coração que este obrigado vem, acredita...
e podes te meter na minha vida à vontade, irei responder-te sempre...
beijinhos **

Mar disse...

Sim, acredito que não seja fácil e acredito também que em certas situações seja difícil ver o outro lado das coisas. Por isso mesmo e porque acho que és uma boa pessoa, estou aqui a puxar por ti, a tentar chamar-te à razão. Mesmo que agora não consigas se começares a pensar nisto que te digo, talvez será mais fácil e rápido saíres dessa situação: na vida acontecem coisas que não queríamos que acontecessem. Que nos magoam, que nos matam por dentro. Contudo, se pensarmos bem, ela não acaba para nós e por alguma razão não morremos quando sofremos. Isto, na minha perspectiva, significa que temos de nos mentalizar que isto (o sofrimento) não é para nós, que não merecemos isso e que temos de avançar. Mesmo que demores a avançar só o facto de começares a pensar que tens de, Já está a ajudar muito. Mesmo!

Sei que há pessoas com mais pré-disposição para a depressão/sofrimento que outra e tudo isso depende de muitos factores que agora não interessa. Mas sei também que muitas vezes, é necessário dar-se um abanão às pessoas que nos rodeiam e que estejam em potencial "perigo" de vir a contrair uma depressão, e é esse o meu papel aqui.

Alertar-te, ou melhor, relembrar-te que não te podes refugiar na tristeza, que só depende de ti ultrapassar as situações más que vão ao teu encontro e que se olhares bem, se pensares mesmo bem no que te rodeia, há sempre motivos mais do que suficientes para sorrires, só tens de dar menos valor ao que não interessa e mais ao que interessa realmente! :)

Enfim, não sou psicóloga, nem estou neste momento a passar por momentos difíceis e sei que é sempre muito mais fácil para quem está de fora, mas também já passei por situações em que nada me alegrava e sei o quanto me arrependo do tempo que perdi nesse embalo de tristezas e sofrimento que eu até achava romântico na altura.

Revolta-te.. A vida não espera por ti! :P

hug * disse...

Mar
Obrigado. senti-me completamente abanado :)

hug * disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
CoisasDaGaja disse...

Nem sempre sei o que comentar. Não sou muito de comentar só porque sim. Nem de comentar para escrever o óbvio, ou um "gostei muito".

A verdade é que gosto, leio todos os dias... Estou por aqui e gosto que tu estejas por aí...

Um beijo*

S* disse...

Dói mais do que um murro.

hug * disse...

CoisasDaGaja
ainda bem que por aqui andas, é daqueles seguidores resistentes à lamechice da minha vida nos ultimos tempos...
obrigado pelo carinho **

S*
doi mais do que uma facada... doi mais do que uma bala...

Imagina que... disse...

Dói, magoa, sangra! Sem qualquer dúvida. Mas gosto de acreditar nas palavras da Mar. Cabe-nos a cada um de nós erguer a cabeça e seguir em frente.**

hug * disse...

a Mar veio com a força de uma onda e... rebentou nesta praia :)
ela tem razão.
**